domingo, 26 de janeiro de 2014

RENT MANSION in WORLD CUP 2014 BRAZIL / Pampulha Belo Horizonte-MG: LOCAÇÂO COPA 2014

RENT MANSION in WORLD CUP 2014 BRAZIL / Pampulha Belo Horizonte-MG: LOCAÇÂO COPA 2014

AMPLA MANSÃO em local privilegiado Pampulha BH, 3,8 Km do Estádio do Mineirão ideal para famílias, grupos, comitivas que querem desfrutar de comodidade tranquilidade e conforto. Próximo ao complexo arquitetônico da Pampulha, Parque ecológico, Toca da Raposa, acesso fácil as principais vias. O Imóvel em estilo arquitetônico moderno, com 1.500m amplos ambientes com vista para piscina e jardins. Primeiro contato pelo email alouzada2@gmail.com.

visite o blog

http://alugomansaonacopabh.blogspot.com.br/2014_01_01_archive.html





 

domingo, 4 de agosto de 2013

Expressões do nosso rosto falam tudo!!!

A suposta universalidade das expressões faciais tem sido debatida desde Darwin. Algumas parecem mais comuns, enquanto as emoções mais sutis podem se perder na tradução entre culturas. Veja uma análise do vocabulário da parte mais comunicativa do nosso corpo: o rosto.

10. Confusão

10
A expressão de confusão é muitas vezes determinada pelo enrugamento do nariz e testa, às vezes com uma sobrancelha levantada mais alta do que a outra. Os lábios tipicamente franzem também, embora a expressão de confusão tenda a ser mais acentuada em torno dos olhos e nariz. As origens do rosto confuso podem ser comparadas com nossos parentes vivos mais próximos, os chimpanzés. Confusão representa uma falta de compreensão, e a própria expressão é criada para um aumento dos nossos esforços em entender alguma coisa. Quando um chimpanzé, especialmente um mais novo, experimenta uma nova sensação, o olhar de surpresa ou confusão é muito semelhante ao nosso. Nós compartilhamos o desejo de compreender o mundo que nos rodeia, embora em um nível diferente.

9. Vergonha

9
Um olhar de vergonha é uma expressão facilmente e universalmente reconhecida. Normalmente inclui olhos desviados para baixo com uma aparência triste ou preocupada. A cabeça também é frequentemente posicionada em direção à boca, franzindo a testa. Quando simplificada, a vergonha está intimamente relacionada com a submissão. Nos primatas, depois que o indivíduo dominante conseguiu forçar o outro, o lado perdedor mantém seus olhos para baixo para reconhecer a perda e o fim do conflito. Em nossas sociedades mais complexas, a derrota pode ser classificada como pessoal ou competitiva. Pode ser que a derrota (e vergonha) que segue a perda de um jogo não corresponda às expectativas que você definiu para si mesmo, ou deixe de cumprir as normas que os outros criaram para você. Estes termos gerais se manifestam em infinitas formas, mas todos retornam ao simples sentimento de vergonha, que evoluiu a partir de admitir perdas.

8. Surpresa

8
Um olhar de surpresa é facilmente identificado por olhos arregalados e boca aberta. A emoção de surpresa ou choque é uma parente próxima do medo. A cara de surpresa é um dos rostos mais instintivos que fazemos. Na maioria das vezes, nós não a fazemos conscientemente; é uma reação instantânea a algo. Todos os primatas, e muitos outros animais, alargam seus olhos com medo ou quando estão assustados. Quando algo inesperado acontece, nossos olhos se arregalam e as pupilas crescem a fim de melhorar nossa visão do arredor para que possamos reagir mais rapidamente.

7. Foco

7
A expressão facial focada ou concentrada pode variar de acordo com a situação. Se a pessoa está focada em uma tarefa particular, os olhos ficam fixadas nela. Se você estiver focado num pensamento ou ideia, por outro lado, os olhos podem focar para cima ou desviar para o lado. Normalmente, também piscamos menos. Curiosamente, quando alguém está se concentrando em realizar uma tarefa, seja cognitiva ou física, a língua se torce e move de um lado para outro. A maioria não está consciente de que faz isso. O movimento é conhecido como “desinibição motora”, um fenômeno no qual mais da energia do cérebro é dedicada à tarefa que você está realizando e menos é focada em manter outras partes do corpo paradas. O fenômeno não se limita à língua. Alguns podem piscar menos pelo mesmo motivo.

6. Exaustão

6
Um fator óbvio que indica que alguém está exausto são pálpebras semiabertas. As sobrancelhas também são frequentemente levantadas na tentativa de ficar acordado. A fadiga é um cansaço causado por uma grande quantidade de esforço sem descanso suficiente. Nos primatas, especialmente os grandes macacos, mais inteligentes, sua expressão cansada é tão proeminente quanto a nossa. Ao se preparar para ou engajar-se em um conflito, macacos podem observar a expressão do outro e avaliar suas chances de ganhar uma luta através da análise do comportamento da oposição e seu nível de energia. A aparência de cansaço serve como um benefício para a parte contrária, porque faz o oponente parecer ser menos ameaçador. Nós, humanos, também indicamos o nosso nível de funcionalidade com a nossa cara. Ao indicar aproximadamente a quantidade de energia que temos, os outros também podem estar conscientes das nossas capacidades.

5. Sedução

5
A arte da sedução é classificada como levar uma pessoa a se envolver em algum tipo de comportamento, tipicamente sexual. A expressão facial sedutora tende a variar muito, mas ainda existem algumas características que permanecem relativamente constantes para todos: os olhos são fixos com um olhar de intensidade para a outra pessoa, ocasionalmente estreitando-se ligeiramente, como se para se concentrar em um determinado objeto. Os lábios são ou franzidos juntos ou ligeiramente afastados. A cabeça é frequentemente inclinada em direção a pessoa, expondo o pescoço mais. Esta expressão é autoexplicativa em suas origens: os olhos são os chamarizes de atenção em qualquer situação. Olhar de intensidade normalmente é atraente para a parte contrária. Faz sentido acentuar os lábios e o pescoço, geralmente partes mais sensuais do corpo. A expressão pode ser combinada com um piscar de olhos e sorriso leve ocasionais.

4. Raiva

4
Cientistas creem que a raiva, mais do que outras emoções, é universal entre as culturas. A aparência e comportamento é inconfundível: sobrancelhas são espremidas para formar um vinco, e pálpebras são apertadas. A cabeça é muitas vezes um pouco abaixada, como os olhos fixando os arredores a partir de uma testa franzida. A raiva está associada a situações irritantes, frustrantes ou desagradáveis. É um sentimento muito primitivo, que se manifesta através de muitas espécies. A nossa expressão facial de raiva é paralela a de outros primatas. A tensão do rosto é geralmente associada com mais linguagem corporal para enviar um indicador claro da emoção para as pessoas ao redor. Como seres humanos, temos a capacidade de influenciar o humor dos outros. É uma sensação inconfundível quando há uma pessoa com raiva na sala, e todo mundo sente a tensão. A própria expressão facial é feita em paralelo a tensão que a pessoa está sentindo internamente.

3. Medo

3
A expressão facial de medo caracteriza-se por olhos arregalados e sobrancelhas inclinadas para cima. A boca é geralmente aberta até certo ponto. O medo, como a surpresa, está intimamente enraizado ao instinto e indica um desejo de evitar ou escapar de alguma coisa. Um estudo científico feito em 2008 analisou a expressão de medo e os pesquisadores descobriram que, com ela, as pessoas respiram mais ar e podem rastrear alvos mais rapidamente, por causa dos olhos arregalados. Em geral, a expressão facial aumenta a nossa percepção sensorial. Exibir exteriormente o medo é realmente muito prático e auxilia o indivíduo a evitar uma situação aumentando a capacidade de seus sentidos.

2. Tristeza

2
Expressões tristes são geralmente caracterizadas por uma carranca. Tristeza é acoplada com sentimentos de perda e desamparo. A expressão é muitas vezes apresentada por pessoas em abstinência. A origem ou a razão para essa expressão é bastante simples: as características que indicam tristeza são a diminuição da maioria das nossas características faciais. Quase tudo é franzido ou inclinado para baixo, não necessariamente acentuando qualquer área específica. É uma indicação da derrota, bem como senso de desistência ou falta de tentativa de se envolver com outras pessoas.

1. Felicidade

1
Felicidade é considerada a expressão facial mais universal com praticamente o mesmo significado em todas as culturas. Indicada por um sorriso e olhar em forma de crescente, esta expressão é inata até em bebês. Cientistas e especialistas em evolução formularam muitas origens específicas para a expressão de felicidade, com especial atenção para o sorriso. Ao contrário da maioria das nossas outras expressões, nosso sorriso não tem o mesmo significado que o “sorriso de boca” de outros grandes macacos, que usam essa expressão para intimidação. Muitos especulam que o nosso sorriso surgiu para indicar, de alguma forma, nossa saúde (ao mostrar os dentes). Enquanto pode não carregar consigo um ar de intimidação, ainda indica para os outros que você está bem. Em nossas situações sociais complexas, o sorriso é normalmente convidativo (talvez também mostre um certo nível de força ou autossuficiência, seja fisicamente ou emocionalmente), e as pessoas ganham mais aceitação quando o exibem verdadeiramente.[Listverse]

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

O combate começa na mente

 É comum ver numa competição mundial o pódio com atletas estrangeiros e quase sempre
 um brasileiro em lágrimas, geralmente inconsolável. Isso quando o nervosismo não o tira da
 competição, quando ele era o favorito. Não é difícil lembrar-se de um esportista brasileiro nestas
 condições. Agora mesmo você acabou de lembrar-se de um. E o choro seria apenas a emoção
 eclodindo ou a surpresa de ter ganhado quando nem ele mesmo acreditava que seria possível?
Para os apreciadores do MMA e fãs do UFC, quero aqui resgatar a última luta do Anderson
 Silva contra Cris Weidman no UFC 162. O programa UFC Inside exibido no canal Combate,
 trouxe uma entrevista muito curiosa com o Cris Weidman. Seguem alguns trechos da entrevista:
“Pode soar como arrogante mão não é. Eu mentalizei diversas vezes a imagem onde estou
 ganhando do Anderson. Eu me vi várias vezes levantando o cinturão. O Anderson atua
 diretamente no campo psicológico, minando a confiança dos adversários.
Detalhe: essa entrevista foi concedida antes da luta. Weidman é bacharel em psicologia e
 fez uma preparação mental intensa treinando além da parte física a sua inteligência emocional.
Segundo o psicólogo e escritor Daniel Goleman, a inteligência emocional é a capacidade de
 identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivarmos e de gerir
 bem as emoções dentro de nós e nos nossos relacionamentos. De uma forma mais direta,
 é a capacidade de administrar emoções para alcançar objetivos.
O padrão mental é trazido à existência por meio de nossas atitudes. Infelizmente nós brasileiros
 temos sido muito negligentes quando o assunto é a inteligência emocional. Quantos
 profissionais você conhece com elevado nível de competência, excelente formação acadêmica
 e que não são bem sucedidos? Quando vamos para o meio desportivo isso é potencializado.
Nós fazemos tudo certo. Somos um povo guerreiro, nos preparamos e treinamos pesado, mas
 quando chega na hora muitas vezes acontece tudo diferente de como imaginávamos. Talvez
 você tenha se lembrado da nossa seleção brasileira de futebol sendo diversas vezes
 desestabilizada psicologicamente por seus rivais e perdendo uma partida em que eram
 os favoritos. Os exemplos sobram. Somos conhecidos por sermos um povo irreverente e
 que costuma quebrar “protocolos”, mas a verdade é que temos dificuldade de cumprir os
 protocolos por causa do nervosismo. A quebra do protocolo funciona como calmante psicológico.
 Mas é preciso aprender a controlar a variável psicológica. Já está na hora de unirmos o preparo
 técnico com a inteligência emocional.
Em outra entrevista, também um lutador de MMA, após perder uma luta em que ele era o 
favorito, revelou ao entrevistador:
“Não quero aqui dar desculpas, mas quando estava no chão tentando finalizar a luta, alguém
 da platéia gritou o nome de minha filha, foi neste momento que eu perdi a luta. Ela está internada
 fazendo tratamento contra um câncer.”
Quando o campeão dos pesos pesados do UFC Júnior Cigano perdeu o cinturão para
 Cain Velasquez. Cigano estava no auge do processo de divórcio e o seu mestre Yuri Carlton
 informou que isso foi decisivo para a derrota do campeão. O nocaute de Cris Weidman sobre
 Anderson Silva aconteceu antes da luta. Foi tudo planejado e visualizado na mente de Weidman.
 Foi nesse terreno que ele derrotou o grande campeão Anderson Silva.
E você? Consegue imaginar-se alcançando aquele sonho? Será que você está realmente
 preparado para alcançá-lo? O que é que te desestabiliza? O que é que bloqueia suas habilidades?
 Quantas vezes você já foi prejudicado por não estar preparado mentalmente para uma situação em
 que poderia ter se preparado?
O coaching é um processo profissional amplamente consolidado na Europa e nos EUA e eles já
 entenderam a algum tempo que atitude é tudo. O trabalho do coaching passa pelo observador externo
 que tem uma capacidade privilegiada de observar e orientar o seu coachee com ferramentas eficazes
 para atingir os seus objetivos, potencializando as suas habilidades e talentos, aumentando o seu
 desempenho consideravelmente. Num processo de coaching há oportunidades de se trabalhar de
 forma intensa o desenvolvimento da inteligência emocional orientada para objetivos específicos,
 preparando-o para os riscos reais e ameaças que habitam no percurso para o êxito.
Tem muita gente que continua apanhando dos medos, dos traumas, da vida, da falta de preparo
 e treino da inteligência emocional.
Segundo Louis Paster, a sorte favorece a mente bem preparada. Conhecer a si mesmo é premissa
 fundamental para aqueles que querem vencer a grande batalha mental, onde a mente preparada
 nocauteia até os grandes campeões.
Robson Vitorino 

Aspectos positivos, negativos e perspectivas da área de RH.

MELHOR entrevistou  executivos sobre os principais aspectos positivos,
 negativos e perspectivas da área de RH.












Márcia Costa, gerente de RH do McDonald's 
Maior erro do RH.Querer o poder. A área de Recursos Humanos  tem o dever fundamental de buscar
 melhorias nas realções de trabalho  como agente que influência as decisões do poder, mas
 de nenhuma forma poderá confundir-se com ele, sob pena de perder capacidade de observação
 da cultura  e de atuação junto ao ser humano.Aspectos positivo e negativo.Um aspecto negativo, é que às vezes falamos coisas que ninguém entende. Precisamos
 melhorar! São vários os aspectos positivos: um deles é a oportunidade de contribuir para o
 desenvolvimento do ser humano e, através disso, trazer resultados perenes para o mundo
 dos negócios. 

Emílio Creto, diretor de RH para a Siemens Mercosul. 

Aspectos positivo e negativo.

O aspecto mais positivo em trabalhar nessa área é que os processos

 são diversificados e não há uma única solução para todos os problemas.
 O cativante é ver a expressão das pessoas quando suas expectativas são
 atingidas em uma negociação. E isso pode ocorrer simultaneamente dos
 dois lados. O importante é que as pessoas saiam satisfeitas, tanto o lado
 da empresa quanto o colaborador. Atualmente, podemos atuar em sinergia
 com os negócios, o que é muito prazeroso, pois possibilita ter uma visão geral da empresa, permite
 sair daquele conceito inicial de RH e participar, de fato, dos resultados da organização.
 

Flávia Pettine, gerente de RH da Open Communications Security 

Aspectos positivo e negativo.
Lidar com pessoas é algo fascinante. Você sempre aprende algo novo e ajuda muitas vezes

 somente ouvindo. O aspecto negativo é desconhecer a si mesmo. Quando isso ocorre, você
 deixa de agir com neutralidade e passa a agir com a sua emoção, correndo o risco de misturar
 papéis, avaliar a situação pelo seu crivo de valores. Enfim, deixa de ser um facilitador e passa a
 ser mais um colaborador da organização.
Excelente gestão de pessoas.
Relacionamento com o grupo. É como numa tribo indígena ou mesmo numa peça de teatro: o

 cacique ou o diretor dita as normas e distribui papéis, tem o respeito e a admiração do grupo,
 pois jogam junto, compartilham os problemas, acatam as sugestões, transmitem conhecimento.
 Gerir pessoas é uma arte de estar bem consigo e transmitir o bem estar.
 

Mozar de Leone Mauro,
Assessor de RH do Hospital Samaritano
 


Excelente gestor

Ter habilidade em ouvir e perceber as deficiências e carências individuais

 e coletivas frente às necessidades requeridas pelas competências do negócio.

Saber criar, planejar e implementar de forma positiva e energizadora. Saber

 servir, entendendo que o RH é uma área prestadora de serviços no conceito mais profundo.



Carlos Lienstadt, gestor corporativo pessoas da Embraco 
Excelente gestor.O gestor de pessoas é aquele profissional que cativa sua equipe na busca de resultados
 significativos por meio da inspiração, do entusiasmo, da liderança efetiva e da orientação
 quanto às necessidades de desenvolvimento de sua equipe. É aquela pessoa que se torna
 referência para sua própria equipe como alguém a ser seguido. Foco em resultados, energia, criatividade, empreendedorismo e resistência à pressão são características de todo grande líder. Mas há também que se ter características como coaching, trabalho em equipe, relacionamento interpessoal, delegação, excelente e frequente feedback e postura ética. 


Alberto Gerhardt, gerente de RH da Schering-Plough 

Aspectos positivo e negativo.O lado positivo é ver o "brilho nos olhos" dos colaboradores, quando os projetos são
 implementados
 e trazem bons resultados para a organização e a felicidade para os colaboradores,
 gerando um clima de satisfação. O aspecto negativo é quando o profissional de RH não
 participa do processo decisório da organização, tornando-se um mero cumpridor de políticas
 e procedimentos definidos pelas outras áreas.Excelente gestão de pessoas.Focar as equipes para trabalhar numa mesma direção. Ter as pessoas envolvidas e
 comprometidas
 com os resultados, alinhando os processos ao planejamento estratégico da organização
. Para 
que isso ocorra, é importante existir uma comunicação transparente, para que o gestor
 tenha credibilidade perante a equipe e, com isso, mobilize todas as áreas para atingir
 plenamente os objetivos organizacionais.
 

Cícero Penha, diretor de talentos humanos corporativo da Algar 

Aspectos positivo e negativo.Positivo: o reconhecimento de ter feito a diferença na vida profissional das pessoas.
 Às vezes, pode ser uma simples mensagem de agradecimento por um aconselhamento
 que levou o profissional a melhorar seu relacionamento com colegas. Negativo: é um
 trabalho estressante porque concilia variáveis humanas com de negócios e nem sempre
 há o reconhecimento de que sua profissão contribui para estratégia da empresa.Excelente gestão de pessoas.Um ambiente de trabalho onde as pessoas sintam que é um lugar excelente para se
 trabalhar, com espaço para sonhar, criar e participar. Onde ninguém precise se
 preocupar em cumprir jornada de trabalho, mas sim com objetivos e resultados. 
Onde o lucro tenha uma parte compartilhada com os talentos da empresa. Para 
conseguir isso é necessário ter a coragem de esquecer um pouco a legislação
 trabalhista, que é retrógrada e castrante, desafiar a alta administração para substituir
 o poder pela responsabilidade, implementar políticas e programas que valorizem as
 pessoas e investir maciçamente em educação corporativa.


Cibele Castro, diretora de RH da GE

Aspectos positivo e negativo.
Um aspecto positivo é poder influenciar diretamente o futuro da

 organização. RH e finanças participam preliminarmente de discussões
 sobre a visão de negócios de curto, médio e longo prazo bem como
 sobre o perfil de liderança necessário para que a estratégia aconteça.
 O negativo é a subjetividade: embora existam indicadores de
 performance em RH, ainda é muito difícil medir objetivamente a real
 eficácia das nossas ações. Conseguimos saber quantas horas de treinamento tivemos
 por empregado ou o quanto investimos, mas e quanto a real eficácia do treinamento
 nas atividades diáriasdele? Esta ainda é uma área onde temos muito trabalho a ser feito.


Silvana Vilella Castellani, gerente de RH do Hospital do Coração 
Excelente gestão de pessoas.Para existir uma excelente gestão de pessoas é preciso, primeiramente, acompanhar os
 indicadores da área com o objetivo de detectar onde estão os pontos de melhoria (críticos )
 ou os de oportunidade, comparados, inclusive, com o mercado como: resultados da instituição
 (uma empresa "saudável" normalmente tem resultados financeiros positivos);
a voz do cliente (reflete diretamente como está o nosso atendimento, nossos processos internos

, nossas falhas ou nossos pontos de melhoria e também nossas oportunidades);
o clima da empresa (mostra o nível de motivação dos colaboradores e o impacto na instituição); 

ações que visam a redução do absenteísmo e turnover; e ações voltadas para a melhoria da
 qualidade de vida e de desenvolvimento profissional.

Fernanda Ribeiro Abrantes, gerente de desenvolvimento e change management

 da Kimberly-Clark Brasil 
Excelente gestor.É aquele que entende que seu papel é o de "servir" sua equipe e não simplesmente o
 de "mandar" nela. Pode parecer simples, mas se trata uma profunda mudança cultural.

Aurélio Di Pietro, diretor de RH da Avaya
Excelente gestor.
É aquele que acredita que tudo que faz faz por meio das pessoas. Sabe se comunicar

 no sentido completo dessa palavra. E por fim, pratica diariamente "modalidades" como
 coaching, feedback, desenvolvimento de pessoas, reconhecimento. Tudo isso em um sério,
 porém alegre, clima de negócios.Maior erro do RH.Acreditar que está na empresa apenas para atender solicitações das demais áreas.

terça-feira, 30 de julho de 2013

À PROVA DO DESAPEGO

À PROVA DO DESAPEGO



Desde muito pequenos somos treinados a acumular, a ter, a possuir. Mas ao
 longo da vida constatamos que isso nem sempre nos faz melhor. 

Ao ler a frase “Os vínculos que criamos com as pessoas e as coisas são importantes
 para a vida, mas precisamos perceber quando eles não são mais necessários” 
-me a refletir o quanto guardamos o que não serve mais; como mantemos
 preso o que já não nos pertence, como se o desapego fosse nos deixar 
sem ar, sem sentido. Os exemplos são vários. Lutamos em manter o
 amor não correspondido; perpetuamos referenciais e paradigmas que
 já há tornaram obsoletos; guardamos ocupando espaço no guarda-roupa
 o vestido que já tempos não usamos; cultivamos lembranças que adoecem
 quando deveriam ter sido eliminadas da mente.
Acredito que não seja a única a pensar assim, ainda que seja difícil admitir.
 Ao longo da história fomos treinados para competir, ganhar, guardar, acumular,
 adquirir. Das coisas materiais às conquistas do coração tudo deveria recair
 na proposta do ter, do possuir. Mas a vida sabiamente mostra que as coisas não
 são bem assim já que a lei do universo busca pelo equilíbrio, pela compensação.
 Como criança, se adeptos da infantilidade eterna, há quem acredite dono vitalício
 daquilo que supõe ter conquistado ou adquirido, esquecendo que apenas 
administramos a porção que nos foi reservada com tempo de duração.

Muitas são as pessoas que se afugentam de situações que possam desenvolver
 o sentimento de apego, da dependência, refratários à entrega. Em contrapartida
 há os que buscam viver intensamente o que desejam sem medo do que virá,
 ou quem sabe, mais experimentados, sabem deixar de lado quando algo não
 serve, serenamente. Metaforicamente, a prática do desapego se processa como
 uma grande faxina em nossa casa. Baldes, vassouras, detergentes e rodos entram
 em ação recolhendo, varrendo e limpando tudo que está sobrando pelos cantos,
 que não servem mais, que impedem a passagem ou o bom uso. Assim
 fazem as crianças, deliberadamente, quando o brinquedo não interessa mais.

Como não existem cursos preparatórios para ser adulto, o melhor caminho é seguir
 a vida observando o que ela nos dá de bom e o que podemos eliminar sem deixar
 que se acumulem nas paredes do coração mágoas, ressentimentos, tristezas e
 infelicidades. Lembrando Paulinho da Viola “Deixa a vida me levar, vida
 leva eu”, quem sabe aprenderemos a nos abrir para experiências e
 aprendizagens sem medos e reservas, encontrando ricas oportunidades
 de recomeço e apegos desnecessários.

De qualquer forma, como seres complexos, acredito que a escolha não é
 movimento simples. Exige ousadia, coragem e decisão. Mas vale a pela tentar.

Muitas são as pessoas que se afugentam de situações que possam desenvolver o
 sentimento de apego, da dependência, refratários à entrega. Em contrapartida
 há os que buscam viver intensamente o que desejam sem medo do que virá,
 ou quem sabe, mais experimentados, sabem deixar de lado quando algo
 não serve, serenamente. Metaforicamente, a prática do desapego se processa
 como uma grande faxina em nossa casa. Baldes, vassouras, detergentes e
 rodos entram em ação recolhendo, varrendo e limpando tudo que está sobrando
 pelos cantos, que não servem mais, que impedem a passagem ou o bom uso.
 Assim fazem as crianças, deliberadamente, quando o brinquedo não interessa mais.


Leitura dos pés – Significado de cada dedo do pé

OS DEDOS DOS PÉS REVELAM SEGREDOS DO CORPO E DA NOSSA FORMA DE SER

Leitura dos pés – Significado de cada dedo do pé

leitura dos pes






Dedos murchos ou cheios: Os dedos murchos indicam bloqueio
 das emoções, vejamos um exemplo, o dedão do pé direito, que
 é associado àalegria, quando murcho significa apatia,
 dificuldade de sentir prazer, entende? Se for o dedão
 do pé esquerdo, o da tristeza, que está murcho, isso
 significa que a pessoa não está conseguindo vivenciar
 suas tristezas, ou seja, anda anestesiada. O contrário,
 dedo cheio e duro, indica vitalidade, disposição e entusiasmo.

Dedos pontiagudos: Os dedos nesse formato expressam ansiedade 
e tensão. Se, por exemplo, o

dedo pontiagudo for o que representa a criatividade da pessoa

 (ver tabela), é uma indicação de imaginação reprimida. É
 necessário liberar a criatividade, por em prática ideias.

Dedo de formato arredondado: Esse formato no dedo indica que

 indivíduo é diplomático e amigável.

Protuberância na raiz do dedão do pé (joanete): Quando a

 protuberância for acentuada, indica que a pessoa colocou
 seus próprios sonhos em segundo plano, seus desejos
 pessoais estão subordinados aos de outras pessoas. 
Vamos corrigir esse defeito.

Dedo em forma de garra: Pessoa fechada e introspectiva,

 essa forma representa dificuldade de falar de si mesmo.
 Representa também as seguintes características em sua
 personalidade: obsessividade e controlador.



Pé Harmoniozo: Quando você coloca uma régua na diagonal e
 todos os dedos tocam a sua borda, isso quer dizer que você
 é equilibrado e estável.
Dedão curto em relação aos outros dedos: Você não é capaz de
 expressar sentimentos com facilidade.
Dedão grande demais em relação aos outros dedos: É provável
 que você fale o tempo todo. Nem ao menos se preocupa com o
 que está dizendo, desde que possa continuar falando.
Dedo sonhador: Se o seu dedo não tem contato com o chão, isso
 significa que não te falta imaginação. Seu potencial para fugir
 da realidade é grande.
Calosidade: Os calos mostram que você guarda mágoas. As
 calosidades também indicam frustações em várias áreas da vida.
Dedo desviado: Qualquer dedo do pé com seu curso desviado na
 direção do dedinho revela pressa em chegar ao fuuro. Você
 quer alcançar rapidamente seu objetivo. Se o dedo inclina
 na direção do dedão, é sinal que você vive fazendo comparações
 com o passado.
Dedo de ponta quadrada: Você não se preocupa em agir com tato.
 Caso os outros se incomodem, azar deles. É inflexível: ou você
 concorda com a pessoa, ou será vencido.
 Dedo Torcido: Por algum motivo, você mudou uma atitude ou um 
comportamento que antes adotava. Também é sina de que está 
procurando um novo rumo.
Dedos Retraídos (ou capacidade para ratraídos): Você é 
dominador e, às vezes, manipulador.
Dedos separados: Isso leva a crer que você não tem ligação 
afetiva forte com a própia família, ou está tentando se 
distânciar da família.
Dedo escondido: Um dedo escondido por baixo de outro significa
 que você encobre emoções. Mesmo apaixonado tem dificuldade de
 expressar o seu sentimento.
Dedo grande demais em relação aos outros: Esse dedo maior
 mostra que você se desenvolveu mais numa certa área. Se é
 o dedo do desejo de da vontade que supera o tamanho dos outros,
 fica claro que é determinado para conseguir o que quer. Se é por
 exemplo o dedo da tristeza está acentuado, pode ter uma tendência
 à melancolia.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

6 Maneiras de motivar sua equipe

Promover a capacitação dos colaboradores, buscar parcerias com outras empresas e celebrar conquistas são algumas recomendações dos especialistas.

Camila Lam, de EXAME.COM
Manter os colaboradores motivados é essencial para que o escritório ou negócio seja competitivo no mercado. “Afinal, quem realiza o trabalho é a equipe que está na linha de frente e tem contato direto com o seu cliente”, afirma Daniel Palácio, consultor do Sebrae-SP.
Para Eduardo Carmello, diretor da Entheusiasmos Consultoria, muitas vezes o empreendedor confunde motivação com alegria. “Ele pensa que precisa dar um gás na equipe. Em vez de analisar profundamente, recorre a práticas de curta duração, mas que não vão engajar a equipe”, explica.
“Percebemos que muitos escritórios e corporações identificam algum problema, mas não o comunicam ou comunicam de forma errada ao colaborador”, afirma Rômulo Machado, diretor Regional Sudeste da consultoria De Bernt Entschev Human Capital. Veja abaixo algumas recomendações que não exigem altos gastos e podem ser implantados de forma simples no escritório ou negócio.
1. APROXIME A EQUIPE
Criar uma prática para que as pessoas se conheçam mais é uma maneira dos próprios colaboradores entenderem quais são as principais dificuldades de cada departamento. Para Carmello, pode ser durante um café ou um almoço em que o tópico da conversa é falar um pouco sobre o que cada um faz.
O gestor também deve investir um tempo para estar mais próximo da equipe. “O contato mais próximo transmite um sentimento de que o líder está com ele”, explica Palácio.
2. NÃO SE ESQUEÇA DOS FEEDBACKS
O feedback deve ser feito de maneira individual e não na frente de toda a equipe. “Reclamar da pessoa e não deixar claro o que a pessoa fez de errado só vai agravar o problema”, afirma Machado. Além disso, é importante ter tranquilidade ao lidar com esse tipo de situação.
“Existem empresários que ainda se mantém distantes e têm medo de dar o feedback”, diz Palácio. Fazer críticas construtivas e elogiar quando há um bom desempenho são atitudes necessárias independente da correria do dia a dia.
3. ASSUMA A POSTURA DE “MENTOR”
Uma maneira de capacitar a equipe é ajudando nos custos de um curso. “Bancar um curso especifico, não vejo como um gasto e sim como um investimento, pois é uma consequência boa para a empresa”, afirma Palácio.
“Se a empresa está realmente empenhada em ensinar, o gestor pode identificar um livro bom do mercado, por exemplo, e oferecer para cada um da equipe”, complementa Carmello. Estimular o aprendizado faz com que o colaborador perceba que está indo além e aprendendo coisas novas.
4. ESTIMULE A PARTICIPAÇÃO DOS COLABORADORES
Instigar os colaboradores a terem ideias, mesmo que essas não possam ser aplicadas de imediato na empresa, é uma maneira de ter um ambiente de trabalho mais leve. Para Machado, um ambiente descontraído pode ser mais produtivo e motivador para todos.
“Nada melhor do que a própria equipe envolvida no problema para dar sugestões. As melhores ideias podem ser premiadas com um vale-presente ou um voucher para um almoço”, explica Palácio. Carmello completa que o empreendedor deve considerar compartilhar informação com a equipe sempre que possível.
5. BUSQUE PARCERIAS
Uma maneira barata de agregar mais benefícios é fazer parcerias com outros negócios. Entrar em contato com academias, restaurantes, padarias ou escolas de idiomas para negociar descontos para os colaboradores.
“Faça uma pesquisa com a equipe antes e identifique quais são os benefícios principais que os colaboradores gostariam de ter”, ensina Palácio.
6. CELEBRE AS CONQUISTAS
Quando a sua equipe atinge metas ou soluciona um problema, é preciso celebrar. “O empresário não pode perder o momento. Café da manhã, happy hour, nada que seja muito caro. A longo prazo, isso pode fazer a diferença, pois aumenta a competitividade da empresa“, afirma Palácio.
Além disso, o reconhecimento não pode vir sem motivo. “Sempre premio por performance. Quando é a primeira vez que a pessoa consegue algo eu dou uma caixa de chocolate. É um simbolismo de querer de novo”, explica Machado.
-